Área do Usuário
   Portal da Transparência
Acessibilidade
A+
A-
Contraste
Retornar acessibilidade
  1. Home
  2. Notícias
  3. Saúde Única
Saúde Única

Influenza e resistência antimicrobiana estão na lista de ameaças para a saúde em 2019


Publicado em: 28/01/2019 16:30 | Fonte/Agência: CRMV-PR | Categoria: Saúde Única

 


A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou a lista das 10 principais ameaças para a saúde em 2019; entre elas estão a influenza, a resistência antimicrobiana e a dengue.

A lista é parte do plano estratégico da organização, que deve abordar estas e outras ameaças nos próximos cinco anos com o objetivo de garantir que mais pessoas tenham acesso à saúde, estejam protegidas de emergências e desfrutem de bem-estar.

Influenza
De acordo com a OMS, o mundo enfrentará outra pandemia de influenza - o que não se sabe é exatamente quando nem a gravidade. Por isso todo ano são realizadas campanhas de vacinação além de parcerias com instituições para garantir acesso a diagnósticos, vacinas e tratamentos, especialmente nos países em desenvolvimento.

Resistência antimicrobiana
O uso indiscriminado de antibióticos é uma das principais preocupações da organização, que prevê a dificuldade de encontrar tratamentos efetivos para doenças como pneumonia, salmonela e tuberculose em um futuro próximo. A entidade destaca o uso excessivo de antibióticos não somente em humanos, mas também em animais – em especial os de produção. Neste caso, o plano inclui a conscientização dos profissionais (médicos e médicos veterinários) e da sociedade para o problema.

Dengue
A disseminação da dengue em países que não apresentavam casos da doença traz um alerta para a OMS. Estima-se que 40% do mundo está suscetível ao vírus e que há aproximadamente 390 milhões de infecções confirmadas por ano. A expectativa com o programa é controlar a doença e reduzir o número de mortes em 50% até 2020.

Além destas três, a OMS cita como ameaças para a saúde a ebola, a poluição do ar e as mudanças climáticas, doenças crônicas não transmissíveis, os cenários de fragilidade e vulnerabilidade, a atenção primária, a vacinação e o HIV.


Voltar
Top